[Anime] 10 Diferenças entre o mangá e o anime de Fullmetal Alchemist

Escrito por Himoru Arakawa, Fullmetal Alchemist é uma das histórias mais famosas no meio Otaku. Caso você não conheça, a história é focada na busca dos Irmãos Elric pela pedra filosofal, com o intuito de recuperar seus corpos após acontecimentos inesperados. O mangá, publicado pela Shounen Gangan, teve seu primeiro volume lançado em 12 de julho de 2001. Com o sucesso que a publicação estava fazendo entre os leitores, não demorou muito para surgir uma adaptação em anime. Em 2003, foi lançado a primeira versão, também intitulada de Fullmetal Alchemist. Entretanto, existe muitas diferenças entre a primeira versão do anime e o mangá. Nesse post, vamos pontuar as dez maiores diferenças entre as duas obras.

Personagens

Não é incomum retirar personagens secundários em adaptações ou inserir um personagem que não mude tanto a obra original. Entretanto, a mudança foi bem significativa. Em relação aos personagens novos, alguns deles são: Frank Acher, Dante e Lyra. Apesar de ter outros novos, esses são os que mais causam impacto para o desenvolvimento do enredo principal (com exceção dos homúnculus, que vou explicar em outro tópico). Entretanto, a maior falta é a dos personagens Ling Yao e May Chang (interesse amoroso do Alphonse) que tem um papel na resolução dos problemas no mangá. Acredito que a ausência deles é por só aparecerem tardiamente no mangá, considerando quando foi feita a primeira adaptação. Inclusive, o papel de alguns personagens é alterado, podendo citar como exemplo a Sheska, que ganha muito mais destaque nessa adaptação.


O Estopim da Guerra em Ishval

Full Metal Alchemist set - HeroClix Realms

Depois de muita tenção entre os militares e o povo de Ishval, um disparo acidental, que ocasionou a morte de uma criança, foi o suficiente para iniciar uma grande guerra. Pelo menos, é assim que acontece no mangá. No anime, Martel conta em um flashback que os militares enviam um grupo de soldados para o templo em Ishbal (nome dado no anime de 2003), com ordens para matar todos os que estiveram dentro do local. Após voltarem da missão, eles são enviados ao laboratório e são transformados em quimeras. Depois desse procedimento, eles fogem e se tornam companheiros do Ganância. Bem diferente, não?


O Irmão do Scar

Apesar de ser um personagem secundário, o irmão do Scar tem contribuições muito importantes para a história e nas motivações do Scar. No mangá, o irmão mais velho começa a estudar sobre alquimia de Xing, país ao leste de Amestris, e como ela pode ajudar Ishval na guerra. Entretanto, apesar de muito esforço, ele acaba morrendo ao tentar salvar o Scar durante um ataque do Kimblee, também conhecido como Alquimista Rubro. Também é importante ressaltar que foi graças aos estudos dele que os irmãos Elric e seus aliados conseguem derrotar o Pai dos Homúnculus. No anime ele é ressaltado de maneira completamente diferente. Nessa versão, o irmão do Scar começa a estudar alquimia após a morte de sua amada. Com o intuito de trazê-la novamente a vida, ele faz uma transmutação que acaba resultando no nascimento da Luxúria. Ele também é expulso de Ishbal e enlouquece. No final, ele arranca seu braço, dá ao Scar e morre para pode salvá-lo.


O Responsável pela Morte dos Pais da Winry

Edward descobri que Scar foi quem Matou 0s pais da Winry - Melhores cenas  Fullmetal Brotherhood - YouTube

Uma das mortes mais tristes de Fullmetal Alchemist, com certeza é a dos Sara e Urey Rockbell, pais da Winry. Entretanto, existem duas versões. No mangá, os Rockbells são mortos pelo Scar, que após acordar desnorteado em uma casa que eles estavam usando para tratar os feridos de Ishval, mata os médicos por considerá-los como inimigos, já que são Amestrianos. É importante ressaltar que ele só estava vivo por causa dos médicos e que as pessoas no local imploraram para o Scar não matá-los. Já no anime, o responsável pela morte deles é o Mustang! Ele tinha pouco tempo nas forças armadas de Amestris e ainda estava se acostumando com a guerra. Após descobrirem que os Rockbells não faziam distinção entre aliados e inimigos, o exército decide executá-los. Essa missão é dada ao Mustang pelo Basque Grand.


Xerxes

Palco para criar a primeira Pedra Filosofal, Xerxes é uma cidade que ficava ao leste de Ametris. No mangá nós descobrimos que Van Hohenheim, pai dos Elric, na sua juventude era um escravo de alquimista nessa cidade. Lá ele conhece algo que está preso dentro de uma jarra de vidro, capaz de falar e que se apresenta como Homúnculo e que inclusive dá a ele seu nome, já que por ser escravo não tinha um nome, apenas um número. Com o tempo, o Homúnculo ensina Hohenheim a ler e a usar alquimia, fazendo com que ele vire um ajudante do seu mestre. O rei de Xerxes quer utilizar o conhecimento do Homúnculo para o alcançar a vida eterna mas, descobrimos que tudo era um grande plano do Homúnculo para transformá-lo em uma Pedra Filosofal. Inclusive, como agradecimento pela “amizade” de Hohenheim, ele também o transforma e adota sua aparência humana. Resumindo, a história por trás de Xerxes é muito importante, já que o vilão surgiu de lá. Enquanto isso, o anime só é citado sobre Xerxes uma vez!


O Forte Briggs

Quem lidera o exército é o Führer, mas quem manda no Forte Briggs é Olivier Armstrong. Comandado pela irmã mais nova do Alex Armstrong, o arco que se passa no Forte Briggs é de extrema importância. O forte funciona como uma unidade autônoma, algo que fica bem claro ao descobrirmos que a mão direita de Olivier é Miles, um descendente de Ishval. Também conhecemos dois novos Homúnculos: Orgulho e Preguiça. Na minha opinião, é um dos melhores arcos do mangá, com personagens incríveis e com cenas de tirar o fôlego. Entretanto, no anime o forte simplesmente não existe, um absurdo não acha?


Pedra Filosofal

A busca e criação da Pedra Filosofal é o ponto mais importante da história, sendo um tópico que demorou vários capítulos para os leitores descobrirem a verdadeira natureza de sua composição e os primeiros a conseguir completar uma pedra perfeita. Algo bastante complexo, que demorou anos para os homúnculos conseguirem colocar o plano do Pai. O esforço necessário para criar a pedra é extremamente grande, e podemos ver isso quando descobrimos o que aconteceu com a nação de Xerxes. Já no anime, isso é retratado como algo bem simples de se conseguir, além de que o círculo de transmutação para fazer a pedra é diferente. Outra divergência entre as obras é em relação do envolvimento de Van Hohenheim, na criação da pedra. No mangá ele é manipulado e acaba se tornando a pedra, enquanto no anime ele sacrificou conscientemente a vida de outras pessoas, junto com Dante, para criar a pedra filosofal perfeita.


Origem dos Homúnculos

Lance and Shadow — Pride's Teeth

A origem dos Homúnculos são completamente diferentes de um para outro. No mangá, o nascimento deles está relacionado diretamente ao portão, já que o Homúnculo original veio de lá. O restante dos Homúnculos são parte do Pai, representando as partes deles e são nomeados como os sete pecados capitais: Orgulho, Luxúria, Ganância, Inveja, Preguiça, Gula e Ira. Então, mesmo que sua forma humana morra de vez, eles podem voltar a “vida”, como acontece com o Ganância. Inclusive, Ametris é criada e controlada pelos Homúnculos com o intuito de ser a base para a criação de uma nova Pedra Filosofal, onde passam anos arquitetando e executando seu plano. Entretanto, no anime eles são o resultado das tentativas da transmutação humana. Por isso, para matá-los, é necessário mostrá-los uma parte do corpo da pessoa que os transmutou. Alguns querem ser humanos, outros querem vingança, é algo bem mal trabalhado.


A Redenção de Scar

Um dos personagens mais poderesos de Fullmetal Alchemist, Scar é um anti-herói que mata os alquimistas nacionais como punição pelas atrocidades cometidas por eles durante a guerra. Porém, após ser tratado por Winry e entender que existe coisas mais importantes que sua vingança, ele decide se juntar ao irmãos Elric. Após a derrota do Pai, Scar decide ajudar a reconstruir a cultura do povo de Ishval, com o auxílio de Miles. Isso é o que ocorre no mangá, bem diferente do que vemos no anime. Nele, Scar decide realizar o ritual para criar uma Pedra Filosofal, como forma de vingança pelo o que foi feito em sua terra Natal. Entretanto, após Kimbly transformar Alphonse em uma bomba, Scar transfere seu círculo do braço para Al, para torná-lo em uma pedra filosofal e salvá-lo. Scar explica que está fazendo isso por que seu irmão fez o mesmo para salvar sua vida durante a guerra. Com isso, Scar morre para completar o círculo de transmutação e Al se torna uma pedra filosofal.


O Portão e o que ele representa

Fullmetal Alchemist volume 13 cover | Fullmetal alchemist, Alchemist,  Fullmetal alchemist brotherhood

Um dos aspectos mais intrigantes de Fullmetal Alchemist é o portão. Esse portão é a entrada de um local que você tem acesso quando você tenta uma transmutação humana. Mas, o que tem lá dentro ou o que ele representa? Durante a leitura do mangá, nós descobrimos que dentro dele existe o conhecimento sobre tudo e caso você veja o que há lá dentro, é capaz de realizar alquimia sem um círculo de transmutação, mas irá custar um preço bastante caro. Não se sabe explicar ao certo o que tem lá, mas antes de adentrar nele, existe um ser sem rosto que envia você para dentro e toma algo em troca. Inclusive, mesmo se você seja forçado a realizar uma transmutação humana para entrar lá, você ainda tem que pagar o “pedágio”, como aconteceu com Mustang. Outra curiosidade é que o Pai dos Homúnculos é originalmente de lá. A pessoa que fica na frente do portão serve como um mediador, por isso no final, quando Alphonse abdica de sua alma para restituir o braço de Edward para ele conseguir transmutar e vencer a luta, Ed consegue ir para o portão e consegue negociar a vida, o corpo e alma de seu irmão em troca de sua alquimia. Já no anime, o portão funciona como um portal para o nosso mundo, onde vemos uma parte de Munique em 1921. Neste local, várias pessoas morrem diariamente, por causa de uma guerra e essas mortes são fonte de energia para a utilização de alquimia. Inclusive, após ser forçado a passar por ele, o Van Hohenheim fica preso no outro mundo e decide morrer com a forma que ele tinha quando estava com a Trisha, mãe dos meninos. E no fim, para salvar o Al, o Ed passa pelo portão e vai viver no outro lado do portão, mas como não é suficiente, o Al também perdeu todas as memórias de tudo que acontece desde da noite que eles tentam transmutar a mãe deles. Resumindo: o final fica em aberto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s