[Dica] Batman – A Piada Mortal

A Graphic Novel Batman – A Piada Mortal, publicada pela primeira vez em 1988, conta com um roteiro incrível escrito por um grande nome dos quadrinhos, o Alan Moore, também responsável por outros títulos incríveis (Watchmen e V de Vingança). Entretanto, ela só se tornou possível graças ao ilustrador Brian Bolland, que já tinha o desejo de realizar esse projeto com o Moore. Agora que já sabemos um pouco sobre o que está por trás desse projeto, vamos falar um pouco do enredo, que tem como foco nos mostrar o surgimento do vilão mais amado pelos Dcnautas, o Coringa.

Imagem relacionada

Muitas vezes nos perguntamos o que pode levar uma pessoa a ser tão sociopata como o Coringa, mas acredite ou não a resposta é mais simples do que parece: “Um dia ruim”. Um frase tão simples que se encaixa tão perfeitamente na história, pois se analisarmos, essa ideia de “Um dia ruim” também é responsável pelo surgimento do Batman.

Acredite ou não, o Coringa era uma pessoa comum que tinha problemas simples assim como eu e você. Comediante fracassado, marido, pai de família e entre outras ocupações faziam parte da vida desse palhaço que conhecemos. E por causa dessas preocupações e dificuldades financeiras ele aceita ajudar em um assalto, mas no dia da ação tudo dá errado, fazendo com que não só ele perca tudo que ele um dia já veio amar, como também sua sanidade mental, se transformando no nosso amando Coringa. Mas calma que não acaba por aqui.

Resultado de imagem para piada mortal quadrinho

Apesar de ser muito conhecida por mostrar uma das origens desse vilão, a história vai além disso, principalmente por não ser a linha principal. Bom, tudo começa por que o Coringa foge do Arkham e invade a casa do Comissário Gordon, usando uma camisa de turista (tornando uma das aparições mais icônicas do vilão) e atira na sua filha Bárbara, que atuava como Batgirl. Após isso ele tenta mostrar que o homem só precisa de um dia ruim para se tornar louco, assim como foi com ele. E é no fundo dessa história que ocorrem flashbacks mostrando como isso ocorreu com ele.

Apesar de não agradar a todos, essa HQ levou alguns prêmios para casa, sendo três Eisners por álbum, roteirista e desenhista/arte-finalista e mais quatro Harvey por artista, colorista, edição e álbum. Como disse, nem tudo agradou a todos, sendo os principais os próprios envolvidos: Alan Moore e Brian Bolland. No caso do Bolland, foram as cores da edição original que nunca o agradaram, entretanto elas foram alteradas na versão Deluxe de 2008 agradando assim o desenhista. Já no caso de Moore, o problema foi a história, mas como ela é consagrada, ele acabou tendo que lidar com isso. Vale ressaltar que essa graphic novel foi adaptada para uma animação em 2015, entretanto ela não foi muito bem recebida pela crítica.

Resultado de imagem para piada mortal

Pra finalizar, é interessante fala sobre a polêmica contra a DC após divulgar a capa alternativa de uma das HQs da Batgirl, que teve como referência a Piada Mortal (imagem acima). Isso por que acredita-se que faz apologia a cultura do estrupo. Mas apesar disso é importante dizer que essa é uma HQ muito importante para a DC e para nós que amamos esse carismático vilão chamado Coringa. Com isso finalizo dizendo que essa é minha história favorita da DC e que caso você ainda não tenha lido, fica aqui minha super recomendação!

Anúncios

Autor: kathysant

Gestora em Turismo, diva do Olar e escritora em tempo livre

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s