[Crítica] NARCOS

Sinopse: Série original da Netflix que conta a história do narcotraficante colombiano Pablo Emílio Escobar Gavília (Wagner Moura) e o famoso Cartel de Medelín. Com uma mistura de ficção e realidade esta série chegou no serviço de streaming em 2015 e se estabeleceu como a mais vista do ano, atualmente com três temporadas completas e trinta episódios. A série começa na chegada do tráfico de cocaína na Colômbia nos anos 80, quando Pablo e seu primo Gustavo (Ruan Pablo Rana) eram apenas contrabandistas de eletrônicos, cigarros e bebidas. Do outro lado temos a Drug Eforcement Agency (DEA) juntamente com a Policía Nacional de Colombia, representadas pelo Coronel Horácio Carrilho (Maurice Compte), pelos agentes Javier Peña (Pedro Pascal), um texano de origem latina, e Steve Murphy (Boyd Holbrook), que além de ter participado da caça a Escobar durante as duas primeiras temporadas, é  nosso narrador (tal qual o Capitão Nascimento em Tropa de Elite 1 e 2) ele introduz todo o contexto histórico dos fatos que levaram a formação, ascenção e queda do Cartel de Medelín.

https://i0.wp.com/cdn.images.express.co.uk/img/dynamic/20/590x/secondary/pena-murphy-netflix-narcos-832996.jpg

Trantando-se de uma obra de ficção baseada numa história real, NARCOS atua como uma adaptação dos fatos. Não é um documentário verídico em detalhes, e sim, uma trama que remonta a vida na Colômbia nas décadas de 80 e 90, tomada pela violência, pela guerra e principalmente pela venda de cocaína.

Uma produção de parceria americana e colombiana, criada por Chris Brancat, com alguns brasileiros no meio. Logo na abertura ouvimos a canção ‘Tuyo” do cantor e compositor Rodrigo Amarante. O nosso antagonista vivido pelo Wagner Moura, que recebeu uma indicação ao globo de ouro pelo papel, apesar das críticas ao seu espanhol. O Produtor e Diretor dos dois primeiros episódios da primeira temporada José Padilha, que foi também diretor dos dois “Tropa de Elite” e do remake de “Robocop”. Temos ainda o ator André Mattos na pele de Jorge Luiz Ochoa, sócio de Pablo. E por fim o diretor Fernando Coimbra nos episódios sete e oito das primeira e terceira temporadas.

Dividindo-se em três momentos bem construídos, a primeira temporada tem início na produção de cocaína na Colômbia, exportação até os EUA e criação do Cartel. Passando pela entrada da DEA no país para investigacão desse mercado em crescimento. Até as prisões e extradições dos traficantes, encerrando com a rendição de Escobar e sua prisão em La Catedral. Já na segunda temporada, ocorre a fuga de Pablo e seus aliados, que acarreta na caçada a qualquer custo pelos membros do Cartel, terminando com sua morte pelos policiais da força tarefa.

https://i0.wp.com/biosom.com.br/blog/wp-content/uploads/2016/09/narcos.png?ssl=1

Nesse momento parece que a história chegou ao fim, mas temos uma terceira temporada. Após a morte de Escobar, surge um maior e mais estruturado Cartel de drogas que sempre operou no anonimato. Enquanto Medellín ficava famoso, Cáli crescia exponencialmente, se tornando o maior Cartel de drogas da história “a Porra da Cocaína SA”, comando dos quatro cavalheiros de Cáli: os irmãos Gilberto (Damián Alcázar) e Miguel Rodríguez Orejuela (Francisco Denis), Pacho Herrera (Alberto Ammann) e Chepe Santacruz Londoño (Pêpê Rapazote). Vemos mudanças também na DEA que não conta mais com a presença de Steve Murphy, apenas Javier retornou e com destaque na história, além de novos agentes.

https://www.agambiarra.com/wp-content/uploads/2017/08/narcos-agambiarra-1170x480.jpg

Com cenas gravadas na Colômbia e nos Estados Unidos, a série traz uma belíssima ambientação, que nos faz acreditar que estamos realmente na Colômbia em meados da década de 80. Os carros da época, as roupas, objetos de cena, os telefones por satélite (gigantes), os equipamentos utilizados nas investigações e até mesmo os bigodes usados pelos personagens, tudo muito bem reconstruído, obra de um trabalho minucioso com base nas fotografias tiradas pelo próprio Pablo.

https://i0.wp.com/www.correio24horas.com.br/fileadmin/acervo/uploads/RTEmagicC_wagnermoura-xxx2.jpg.jpg

Com a terceira temporada, Narcos se consagrou como uma das melhores séries atuais, amadurecendo sua trama e provando que o narcotráfico colombiano não morreu com Escobar, apenas mudou de cidade e se multiplicou. Com mais uma temporada confirmada para 2018, se concluirá o arco de Cáli.

Será que haverá uma renovação para a quinta temporada? Enquanto isso assistam as três temporadas disponiveis. Comentem o que acham da série, compartilhem e até a próxima.

9/10

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s