[TOP 5] Melhores estreias de animes – Temporada (Verão/Julho de 2017)

Nesse post, colocarei os animes que mais me empolgaram em continuar assistindo, com base em seus primeiros episódios. Lembrem-se que isto é apenas a minha opinião, não quer dizer que esse top 5 será o mesmo para você.

Apresentarei aqui apenas obras que lançaram nesta temporada. Animes em continuação como: Boruto, Boku no Hero e Re:Creators, não entrarão para a lista.

Dito isto, vamos a lista:

5 – Fate/Apocrypha

Fate/Apocrypha pictureFonte: Light Novel

Gênero: Ação, Fantasia, Magia

Diretor: Asai Yushiku (Charllote)

Estúdio: A-1 Pictures ( Sword Art Online, Nanatsu)

Episódios: 25

MAL: Clique aqui

Trailers: PV1 PV2 | PV3

Sinopse: Na cidade de Trifas, duas facções vão lutar pelo controle do Santo Graal (relíquia sagrada do qual concede qualquer desejo de quem a obtém), cada uma delas possuindo sua própria equipe de sete Servos: Facção Negra, cujos membros fazem parte de Yggdmillennia, protegendo o Graal e a Facção Escarlate, cujos membros foram enviados pela Associação dos Magos, tentando recuperar a relíquia. Para um evento desta escala, o próprio Graal convoca seu próprio servo, o Governante Sagrado, para supervisionar o conflito.

Isso marca o início da Grande Guerra Santo Graal.

O início foi muito bom, mostrando um conflito direto entre os Saber negro e Escarlate, além de uma grande guerra e uma destruição enorme ao redor deles, para então, voltarmos no tempo. Este é aquele começo onde, nos primeiros minutos, somos apresentados a um grande clímax, para então depois, a história voltar e começar de verdade. Uma jogada do roteirista para deixar os telespectadores ansiosos.

Posteriormente, com um diálogo entre dois personagens, já somos apresentados à história. Eu, particularmente, prefiro que as informações sobre a história sejam apresentadas aos poucos e não todas “jogadas” de vez. Enfim, no primeiro episódio já conhecemos sobre a guerra, sobre às duas facções e quase todos mestres e servos.

Todos os Fates tem um início lento e introdutório, e este não é diferente. Mas calma, como nas outras adaptações da série, logo depois do início vem bastante ação. Sendo que neste Fate, ela promete vir com mais força, já que o número de servos e mestres foram dobrados.

Para quem já assistiu às outras adaptações de Fate e para quem ainda não, eu recomendo, com toda certeza, que você assista a este anime. Assim como nas outras séries, essa promete ser tão boa quanto.

Nota de estreia: 8 / 10

4 – Ballroom e Youkoso

Ballroom e YoukosoFonte: Mangá

Gênero: Esporte

Diretor: Yoshimi Itazu (Mitsuami no Kamisama)

Estúdio: Production I.G (Kuroko no Basket, Haikyuu)

Episódios: 24

MAL: Clique aqui

Trailers: PV1|PV2|PV3

Sinopse: Um dançarino profissional chamado Sengoku resgata Tatara, um estudante introvertido do terceiro ano do ginasial que está sendo assediado por delinquentes. Tatara acaba indo no estúdio de dança de Sengoku, onde conhece Shizuku Hanaoka, uma colega de escola que ele secretamente idolatra. A partir desse momento decisivo, Tatara entra no mundo da dança. 

Sengoku é um dançarino internacional de espírito livre e dinâmico que reconhece o potencial de Tatara e começa a treiná-lo. Através da dança, Tatara conhece outro colega de escola, um prodígio de dança chamado Kiyoharu. Através destas novas amizades, Tatara desenvolve um grande desejo de melhorar como dançarino e ser aceito por seus pares e rivais, o que alimenta seu próprio talento nativo. E através da interação com Tatara, os outros membros da dança são encorajados a tomar medidas para superar seus próprios desafios e problemas.

Ballroom, por ter como tema a dança, lembra bastante Yuri on Ice, mas sem a parte fujoshin.

O anime começa com o padrão de roteiro de animes shounens, porém jogado em um tema de dança. O protagonista segue a linha do personagem fraco, indeciso e sem rumo. Eu ainda espero que ele ganhe mais personalidade. Quem mais se destaca por enquanto é o Sengoku, que é o oposto de Tatara.

Ballroom tem uma qualidade técnica, até agora, muito boa. Apesar de seus personagens “pescoçudos” e da animação apresentar inconsistências de vez em quando, o design de personagens está ok. A fluidez dos quadros está boa. Vale citar que, por enquanto, o diretor está indo bem em seu trabalho.

Se você gosta de animes de esporte, você deveria dar uma chance a este, pois ele promete muito! Não precisa gostar de dança para assistir, pois a direção faz o papel de deixar o telespectador preso no contexto da cena, que a dança fica como um toque de beleza e fluidez a mais.

Nota de estreia: 8.25 / 10

3 – Kakegurui

KakeguruiFonte: Mangá

Gênero: Suspense, Psicológico

Diretor: Hayachi Yuuichirou (Garo)

Estúdio: Mappa (Shingeki no Bahamut, Yuri on Ice)

Episódios: 12

MAL: Clique aqui

Trailers: PV1PV2

Sinopse: A história se foca em uma escola especial de elite que permite aos estudantes fazerem apostas entre si, com qualquer coisa em jogo. Para quem ganha a escola é um paraíso, mas para aqueles em débito, ela pode se tornar um inferno de tortura psicológica e física. 

Um garoto acaba de perder uma grande aposta, quando uma misteriosa estudante se transfere para a escola, o ajuda, e começa a realizar feitos inesperados.

Esse anime é bem interessante, porém, você tem que relevar alguns exageros, como por exemplo, as expressões das personagens enquanto jogam. Alguns podem achar muito estranho. Eu achei engraçado, mas estou me acostumando.

Os jogos que foram apresentados até agora são jogos conhecidos, mas de uma forma diferente. Eles são bastante complexos, porém a direção consegue fazer com que o telespectador não precise pensar tanto, e as expressões exageradas são uma estratégia para manter quem assiste, interessado.

Pelo que pude ver com esse início, as pessoas que têm mais influência na escola, como é o caso do conselho estudantil, são muito over power nos jogos, pois elas utilizam uma estratégia diferenciada: a trapaça. Cabe à protagonista desvendar a trapaça e assim vencer os adversários, e cabe a você entender como ela conseguiu descobrir o truque, pois mesmo a personagem explicando no final, não deixa de ser um pouco complexo.

Quem quer ver um anime inteligente, com suspense, com um pouco de ecchi e com animação + direção boa, Kakegurui é uma ótima opção para esta temporada.

Nota de estreia: 8.5 / 10

2 – Youkoso Jitsuryoku Shijou Shugi no Kyoushitsu e (YouJitsu)
Youkoso Jitsuryoku Shijou Shugi no Kyoushitsu e (TV) picture

Fonte: Light Novel

Gênero: Comédia, Romance, Escolar

Diretores: Seiji Kishi (Angel Beats, AssClass, Danganronpa) e Hiroyuki Hashimoto ( Mahou Shoujo Ikusei Keikaku, Is The Order a Rabbit?)

Estúdio: Lerche (Kuzu no Honkai, Assassination Classroom)

Episódios: 12

MAL: Clique aqui

Trailers: PV1|PV2

Sinopse: A Escola de Ensino Médio Koudo Ikusei é uma importante academia de prestígio, com instalações de última geração, onde quase 100% dos alunos passam para a universidade ou encontram emprego. Os alunos têm a liberdade de vestir qualquer penteado e terem qualquer estilo pessoal que desejam. Koudo Ikusei é uma escola parecida com o paraíso, mas a verdade é que apenas os melhores recebem um tratamento favorável.

Ayanokouji Kiyotaka é um estudante da Classe D, que é onde a escola despeja seus alunos “inferiores” para ridicularizá-los. Por uma certa razão, Kiyotaka foi descuidado em seu exame de admissão e foi colocado na Classe D. Depois de conhecer Horikita Suzune e Kushida Kikyou, duas outras alunas em sua classe, a situação de Kiyotaka começa a mudar

Esse aqui e o primeiro colocado, foram os únicos animes da temporada que me deixaram realmente animado para assistir aos próximos episódios. Como o nome desta obra é gigante, algumas pessoas a abreviaram para “YouJitsu”, que é assim que eu vou chamá-la por enquanto.

Se você assistiu Oregairu, você DEVE assistir esse anime! Logo no primeiro episódio, não tem como não comparar o design das duas protagonistas femininas com a de Oregairu. A de cabelo preto e antipática e a ruiva alegre. A personalidade do progonista masculino também é muito parecida com a do protagonista de Oregairu. Existem algumas diferenças ali e aqui, mas a principal diferença e o destaque do primeiro episódio é a escola.

Eu já tinha achado bem estranho o fato da escola dar tantos privilégios aos alunos sem cobrar nada, porém no final, recebi a resposta. O suspense que deram para este “segredo” foi muito bom e me manteve atento ao episódio inteiro.

Se você gosta de personagens não-clichês, que não seguem aquele padrão de personagens bozinhos e inocentes, e de uma escola “diferente”, você com certeza deveria assistir a essse anime.

Nota de estreia: 9 / 10

1 – Made in Abyss
Made in Abyss picture

Fonte: Mangá

Gênero: Aventura, Sci-fi, Fantasia

Diretor: Masayuki Kojima (Black Bullet, Monster)

Estúdio: Kinema Citrus (Black Bullet, Barakamon)

Episódios: ?

MAL:Clique aqui

Trailers: PV1|PV2

Sinopse: O enorme sistema de cavernas, conhecido como Abyss, é o único lugar inexplorado no mundo. Ninguém sabe o quão profundo é esse precipício titânico, habitado por criaturas estranhas e maravilhosas e cheio de misteriosas relíquias antigas cujo propósito é desconhecido para o homem moderno. Gerações de valentes aventureiros foram desenhadas pelas profundidades crípticas do abismo. Com o passar dos tempos, os corajosos o suficiente para explorar o perigoso poço vieram ser conhecidos como “Caçadores de Cavernas”.

Em Oosu, uma cidade à beira do Abismo, vive uma pequena órfã chamada Rico, que sonha em se tornar uma grande Invasora de cavernas como sua mãe e resolver o grande mistério do poço. Um dia explorando as profundidades do abismo, ela tropeça em um garotinho, que acaba por ser um robô…

Esse anime foi o que mais me impressionou. Eu não dava nada por ele e nem mesmo tinha como plano assisti-lo, principalmente pelos personagens serem crianças, que pessoalmente, eu não curto. Mas os cenários e os mistérios que o anime mostra, conseguiram me atrair.

A personagem principal é muito carismática e ela é quem comanda toda a sua “trupe”. Quem não se identificou com ela lembrando da própria infância? O menino-robô, mesmo que pareça mais humano que um robô, é interessante acompanhar o conflito pessoal dele para saber se ele é um humano de verdade e, aparentemente, lembrar do seu passado, que talvez esteja perdido em sua mente.

A parte técnica do anime é lindíssima. E o roteirista consegue introduzir o anime através de diálogos ou de cenas que surgem para o telespectador de forma natural e fechando com o narrador no final, deixando tudo perfeito. Não gosto quando o roteiro joga todas as informações para você numa única cena.

Esse é o anime que mais me deu vontade de acompanhar nessa temporada. Amo o senso de mistério + aventura + Sci-fi. Além de que, pelo design dos personagens e pelo próprio enrendo, Made in Abyss lembra bastante as animações do Estúdio Ghibli, que são soberbas.

Nota de estreia: 9.5 / 10

Essa foi a minha lista sobre as melhores estreias de animes da temporada. Se você gostou ou quer deixar alguma opinião, comenta aí nos comentários. Até a próxima!

Anúncios

Autor: arturdidier

Anime, séries, filmes, jogos, sushi, açaí, chocolate, música boa, master chef, Canadá e cultura japonesa. Não precisa ser nessa ordem, depende do dia. Meio humana, meio exatas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s