[Crítica] Vida.

maxresdefault.jpg

Com uma premissa de um Thriller Sci-fi, “Vida” vem carregado de suspense, referências e duas importantes perguntas primordiais na história da humanidade: Há vida fora da Terra? E estariam os seres humanos preparados para lidar com essa descoberta?

As respostas são apresentadas quando em uma estação espacial internacional, seis astronautas de diferentes países tentam recuperar uma cápsula contendo amostras do solo de Marte, a fim de analisarem se existe condições de vida no planeta (algo bem conhecido em nossa realidade). Ao levarem as amostras para o laboratório, o cientista Hugh Derry (Ariyon Bakare) descobre uma célula viva que demonstra um organismo equivalente ao nosso. A notícia foi recebida com grande entusiamo por todos na estação espacial e da Terra, com até mesmo crianças batizando a forma da vida de “Calvin”. Mas o que antes era motivo de comemoração, acaba causando consequências terríveis quando “Calvin” começa a evoluir muito rapidamente (para uma forma de alga) e demonstra um grau de inteligência espantoso ao escapar de sua caixa de contenção e ir atrás dos humanos. A partir daí começa uma grande luta pela sobrevivência: os tripulantes da estação tentando sobreviver ao terror, e da criatura para conseguir mais substâncias para sua própria sobrevivência.

O filme a todo momento nos traz referências de outros longas, como “Gravidade”, com todo seu cenário que se passa 95% na nave e no espaço; “Alien” ao retratar o comportamento da forma de vida marciana; e a “Bolha Assasina” na maneira como o alienígena se desloca e principalmente como ele ataca suas vítimas.

Apesar de um enredo bem elaborado e promissor, o longa acaba pecando no desenvolvimento dos personagens. No primeiro ato, a trama é bem arrastada e lenta ao tentar nos conectar com os personagens e ao longo do filme, mesmo ganhando bastante agilidade nos momentos de ação e apreensão com muita tensão envolvida, continuamos a ver uma atuação contida e muito superficial. Mesmo com o ótimo elenco, que conta com Ryan Reynolds, Jake Gyllenhaal, Rebecca Ferguson e Hiroyuki Sanada, não se sente um carisma real, uma personalidade mais definida, fazendo com que não sejam tão memoráveis e atraentes como a natureza da criatura se mostra.

Entretando, o filme nos cativa com suas cenas de suspense, seus efeitos fantásticos, fotografia belíssima e trilha sonora que faz uma ótima climatização. Cumprindo o seu papel de ficção ciêntifica e com um roteiro previsível, mas bem redondo, o longa nos deixa com uma impressão que poderá haver uma continuação. Será? Contudo, se ele terminar assim, também não fará muita diferença.

Se você gosta de filmes com apreensão, terror espacial e muita referência, Vida é um fan service perfeito, só não espere uma atuação grandiosa.

Vida estreia nos cinemas Brasileiros nesta quinta, 20 de abril.

7 / 10

Anúncios

Autor: Nêssa Moura

Apreciadora de filmes, séries e livros. Social media, sonhadora e super fangirl da Disney.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s